Notícias

Nona Edição da Escola de Verão de Filosofia Política e Política Pública de Braga (03-05.07.2018)

Ocorrerá a nona edição da Escola de Verão de Filosofia Política e Política Pública em Braga/Portugal, entre os dias 3 e 5 de julho de 2018. A  Escola é organizada pela Universidade do Minho e pela Universidade de York. A língua oficial é o inglês.

A Escola de Verão de Braga já é um espaço tradicional para discussões de temas centrais na área de filosofia política. Nos últimos anos, os temas abordados foram: justice between generations (2010), democratic virtues (2011), radical democracy (2012), basic income (2013), predistribution and property-owning democracy (2014), the ethics of banking (2015), the commons (2016), the philosophy of work (2017). No ano de 2018, o tema da escola de verão será “property and capital in property-owning democracy and socialism”.

Neste ano, os palestrantes principais serão William Edmundson (Georgia State University) e Alan Thomas (York University). Além das palestras acerca do tema acima indicado, a Escola de Verão de Braga contará com um simpósio sobre o novo livro de William Edmundson, “John Rawls: Reticent Socialist” (Cambridge University Press, 2017).

Prazo final para inscrição: 15.05.2018.

Mais informações: https://9thsummerschoolbraga.weebly.com

 

Notícias

Chamada de Artigos – Critical Hermeneutics (Prazo: 30.04.2018)

CRITICAL HERMENEUTICS – BIANNUAL INTERNATIONAL JOURNAL OF PHILOSOPHY, Vol. 2, n. 1, Junho de 2018

Sobre o desafio da migração: perspetivas de hermenêutica crítica

Editores Convidados: Alison Scott-Baumann e Gonçalo Marcelo

Página: http://ojs.unica.it/index.php/ecch/index

A perene crise de refugiados no Mediterrâneo traz à luz a dificuldade de gestão de grandes fluxos migratórios e torna evidente a relutância europeia em relação à possibilidade de acolher os seus outros. Entre África, a Europa e o Médio Oriente parecem existir um conjunto de perplexidades recíprocas que requerem urgentemente análise e soluções. Esta falta de solidariedade em relação até aos requerentes de asilo e aos migrantes forçados coloca desafios éticos e políticos. Por um lado, parece evidente que o velho paradigma vestefaliano do Estado-nação se encontra face às suas limitações para tratar de problemas de justiça global. Por outro lado, o próprio direito internacional é em si insuficiente para os resolver, dada a ausência de poder coercivo. E também se pode argumentar que a resposta da União Europeia a esta crise humanitária tem sido insuficiente e pouco eficaz. Assim sendo, será que a defesa dos Direitos Humanos ainda pode ser considerada uma parte fundamental da identidade coletiva da Europa? E, ao mesmo tempo, num momento de reaparecimento do nacionalismo e da ameaça populista, estarão as sociedades europeias preparadas para acolher os estrangeiros, aqueles que lhes são “estranhos” e valorizar verdadeiramente a sua diversidade… ou será provável que uma reação conservadora possa levar a uma atitude cada vez mais hostil?

Esta constelação de problemas encontra uma grelha de análise adequada no paradigma da hermenêutica crítica. Seguindo a pista de autores como Paul Ricœur[1], Charles Taylor ou Michael Walzer, o objetivo não é desenhar uma teoria ideal que proponha princípios abstratos de justiça; pelo contrário, ele consiste em aplicar o paradigma hermenêutico às ciências sociais e humanas, olhando para as nossas sociedades historicamente constituídas, com todas as suas especificidades, e tentando analisar os problemas de justiça e respetivas soluções de maneira situada. E fazê-lo sendo crítico e não tomando a atual situação social e política como se ela fosse imune à mudança. A história das ideias das nações, povos e linguagens em torno do Mediterrâneo são fonte de uma rica polissemia que pode inspirar importantes sinergias (pense-se em Plotino, no Neoplatonismo, Alquindi, Alfarrabi, Ibne Tufail, Salomão Ibne Gabirol, Maimónides, Adonis). O que podemos, por exemplo, aprender com o Sufismo e os problemas que teve com vários fundamentalismos?

Neste número especial da revista Critical Hermeneutics, estamos interessados em submissões que podem vir de diversas proveniências disciplinares (ética, filosofia política / teoria política, filosofia social, sociologia, teologia, entre outras) que ajudem a pensar a migração e os problemas que coloca. Os temas possíveis incluem (mas não se limitam a):

· A capacidade das nossas sociedades de adotarem o multiculturalismo (Taylor, Kymlicka) e práticas de reconhecimento (Honneth, Ricœur, Taylor)
· O desafio ético de acolher o estranho, o estrangeiro (Derrida, Ricœur, Kearney)
· A migração como um desafio para a filosofia social
· A migração e a justiça global
· Os sentimentos anti-imigração: o problema do nacionalismo e do populismo
· Como enquadrar a migração: o problema das identidades narrativas coletivas (Ricœur)
· A polissemia das culturas mediterrânicas (Plotino, Adonis, Ibne Tufail, Maimónides)

Prazo para envio das submissões: 30 de Abril de 2018

Notícias

Niklas Luhmann – Introdução à Teoria do Sistema (áudio)

Lançamento: Niklas Luhmann – Introdução à Teoria do Sistema (áudio).

Luhmann

Niklas Luhmann (1927-1998), professor de sociologia da Universidade de Bielefeld (Alemanha), foi um dos principais sociólogos do último século, inclusive, no campo da sociologia do direito, e com debates que marcaram a filosofia do direito. Leitura obrigatória para qualquer um que se se interesse pela área.

A Academia Carl Auer (http://carl-auer-akademie.com) acaba de publicar cinco dos quatorze áudios em alemão do seu famoso seminário “Einführung in die Systemtheorie” (“Introdução à Teoria do Sistema”), ministrado nos anos de 1991 e 1992. O material permite observar a precisão em sala de aula de um dos maiores pensadores do último século: apenas com um roteiro em mãos, ele segue o pensamento como se estivesse lendo um texto preparado para a aula.

As quatorze lições do seminário serão publicadas ao longo do ano pela Academia Carl Auer e a sua transcrição corresponde ao livro de Luhmann “”Einführung in die Systemtheorie” (“Introdução à Teoria do Sistema”), sob a organização de Dirk Baecker, que conta com uma tradução para o português pela editora Vozes.

Para acompanhar a publicação dos áudios e ouvir as cinco primeiras lições disponíveis: http://carl-auer-akademie.com/niklas-luhmann-einfuehrung-in-die-systemtheorie-online-hoeren/

 

Notícias

Minicurso: Problemas Atuais da Filosofia do Direito de Hegel (PPGD/UFPA) (dias 05 e 06.12.2017)

Minicurso: Problemas Atuais da Filosofia do Direito de Hegel

Convidamos a todos interessados e todas interessadas a participar do minicurso acerca da filosofia do direito de Hegel, a ser ministrado pelo Prof. Dr. Esteban Mizhari  Universidad Nacional de la Matanza, Argentina), no Programa de Pós-graduação em Direito da Universidade Federal do Pará, nos dias 05.12 (16 às 19 horas) e 06.12 (15 às 18 horas; 19 às 22 horas) (carga horária de nove horas).

O curso possui como objetivo principal apresentar as categorias fundamentais do pensamento hegeliano acerca do direito e da justiça, além de discutir a influência de Hegel na filosofia política contemporânea, em especial, nas teorias da justiça. O minicurso será ministrado em espanhol, mas as perguntas podem ser feitas em português.

O conteúdo a ser ministrado segue abaixo:

El problema del método en la filosofía práctica: las dimensiones sintáctica y semántica de la dialéctica. Negación y contradicción. Momentos y términos de la dialéctica hegeliana. 2. La tensión entre realidad y racionalidad: Derecho abstracto y derecho positivo. El rol del recuerdo y la imaginación en la conformación de una subjetividad jurídica. 3. El concepto hegeliano de persona y los fundamentos de su legitimidad. La racionalidad de la propiedad como condición de posibilidad de la libertad personal. 4. Justicia conmutativa y justicia distributiva: el delito y la plebe como negación del derecho. La teoría hegeliana de la pena y de la redistribución de bienes.

Mais informações e Inscrições pelo e-mail teoriasnormativas@hotmail.com até o dia 30.11.2017, quinta-feira. Indicar, por favor, nome, e-mail, telefone e instituição de ensino. A confirmação das inscrições será feita até o dia 02.12.2017, havendo preferência para docentes e discentes do PPGD/UFPA.

Sobre o ministrante: Esteban Mizhari é professor titular de Filosofia do Direito na Universidad Nacional de la Matanza (Argentina). Foi pesquisador visitante na Universidade de Münster (Alemanha) e realizou pós-doutor pela Universidade de Bonn (Alemanha). É doutor em filosofia pela Universidad del Salvador (Argentina). Publicou Una teoría hegeliana de la justicia (2009) pela editora Ad Hoc (Buenos Aires).

Cartaz MINICURSO HEGEL(1)

Notícias

Grupo de Trabalho “Teorias Interpretativas do Direito” – V Jornada de Teoria do Direito

Programação do Grupo de Trabalho “Teorias Interpretativas do Direito”

Abaixo, comunicamos a programação do Grupo de Trabalho “Teorias Interpretativas do Direito”, coordenado pelos professores Saulo de Matos e Ricardo Dib Taxi, em meio à V Jornada de Teoria do Direito, a ser realizada no Campus Profissional da Universidade Federal do Pará em Belém/PA.

Mais informações pelo site: https://www.doity.com.br/5jtd.

Novo Documento 2017-10-14 14.25.10_1